E-mail Facebook Twitter

Projeto Hospitais Saudáveis

Notícias

I Seminário Assistência à Saúde Livre de Mercúrio no Paraná - Curitiba - 24 de abril de 2012


 

 

I Seminário Assistência à Saúde Livre de Mercúrio no Paraná

 

 

Apresentação: O Seminário “Assistência à Saúde Livre de Mercúrio no Paraná” é parte de um esforço conjunto de diversas instituições públicas e privadas, que visa sensibilizar e preparar o setor saúde para responder ao desafio global de banimento do mercúrio em todas as suas atividades.

 

Data e horário: 24 de abril de 2012, das 8h às 18 horas.

 

Local: Universidade Tecnológica Federal do Paraná – Miniauditório

Avenida Sete de Setembro, 3165, Rebouças, Curitiba – PR

 

Inscrições gratuitas: CLIQUE AQUI PARA FAZER SUA INSCRIÇÃO (a partir de 05 de abril de 2012)

 

 

Programação do Seminário:

MANHÃ

08:00 – Recepção e entrega de material. Inscrições caso ainda haja disponibilidade de vagas.

08:45 – Abertura com autoridades e representantes das entidades promotoras [SESA, SMS, SMMA, HC/UFPR, EV/UFPR, SSD e PHS]

09:15 – Palestra 1: Eliminação do mercúrio nos hospitais: Experiências brasileiras e internacionais. Vital de Oliveira Ribeiro Filho - Centro de Vigilância Sanitária do Estado de São Paulo (CVS-SP) e Projeto Hospitais Saudáveis (PHS/SSD).

09:25 – Palestra 2: Atuação do SSD no Mundo: Parcerias e Iniciativas Internacionais. Verónica Odriozola - Coordenadora para América Latina do Saúde Sem Dano.

10:00 – Palestra 3: Efeitos do Mercúrio na Saúde e no Meio Ambiente. Gilmar da Cunha Trivelato - FUNDACENTRO - Fundação Jorge Duprat Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho - Centro Regional de Minas Gerais.

11:00 – Palestra 4: A negociação do Tratado Global sobre Mercúrio. Zuleica Nycz - Associação de Proteção ao Meio Ambiente de Cianorte - APROMAC.

11:15 – Palestra 5: Confiabilidade dos termômetros clínicos e esfigmomanômetros sem mercúrio. Célio Henrique de Mattos Fraga - Pesquisador-Tecnologista em Metrologia e Qualidade da Diretoria de Metrologia Legal do INMETRO.

12:15 – Debate entre os palestrantes da parte da manhã.

12:45 – Almoço

TARDE

14:00 – Apresentação de Experiência 1: Sustentabilidade e o Papel da Universidade. Eloy Casagrande - Escritório Verde da UTFPR.

14:15 - Apresentação de Experiência 2: Mudanças de paradigmas quanto ao meio ambiente na saúde. Lidia Lima - Comissão de Gerenciamento de Resíduos do HC/UFPR

14:30 – Apresentação de Experiência 3: Implementação e viabilidade econômica da substituição dos aparelhos com mercúrio em um hospital privado. Representante do Hospital Pequeno Príncipe - Curitiba - PR

14:45 – Apresentação de Experiência 4: Implementação e viabilidade econômica da substituição dos aparelhos com mercúrio no HCPA. Ana Lúcia Kern Thomas - Serviço de Governança e Higienização e Comissão de Gestão Ambiental do Hospital de Clínicas de Porto Alegre - Rio Grande do Sul.

15:00 Coffe

15:30 – Apresentação de Experiência 5: Visão do Centro de Saúde Ambiental quanto aos cuidados com o meio ambiente. Lúcia Isabel de Araujo - Coordenação de Vigilância em Saúde Ambiental da Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba

15:45 – Apresentação de Experiência 6: A experiência dos hospitais de Araucária, Foz do Iguaçu e Pinhais na eliminação do mercúrio. Marcelo Bittencourt - Diretor Operacional Regional da Pró Saúde - PR

16:00 – Palestra 6: Gerenciando o processo de eliminação do mercúrio no setor saúde: aspectos técnicos, práticos e institucionais - Vital de Oliveira Ribeiro Filho - Centro de Vigilância Sanitária do Estado de São Paulo (CVS-SP) e Projeto Hospitais Saudáveis (PHS/SSD).

16:50 – Mesa redonda: Legislação e práticas sobre mercúrio: gerenciamento de resíduos, possibilidades, obstáculos e desafios. Representantes dos órgãos de meio ambiente e saúde do estado e de municípios. Coordenação: Vital de Oliveira Ribeiro Filho.

17:30 – Encerramento

 

 

 

 

Público-alvo:

Profissionais do setor de assistência à saúde e de vigilância sanitária, laboratórios, gestores públicos, legisladores, organizações ambientalistas, pesquisadores, acadêmicos e demais profissionais com interesse no assunto.

 

Promoção e Organização:

O Seminário “Assistência à Saúde Livre de Mercúrio no Paraná” é promovido pelo Projeto Hospitais Saudáveis (PHS) e Saúde Sem Dano (SSD), e organizado pelo Hospital de Clínicas/UFPR e Escritório Verde/UTFPR.

O Projeto Hospitais Saudáveis (PHS) é uma organização não governamental, sem fins de lucro, que reúne profissionais e organizações empenhados em promover a segurança para o trabalhador, a saúde pública e a proteção ambiental na assistência à saúde. O PHS (www.hospitaissaudáveis.org) é o Ponto focal da Saúde Sem Dano SSD no Brasil.

Saúde Sem Dano (SSD) é uma organização internacional responsável pela gestão do programa Mercury-Free Health Care (www.mercuryfreehealthcare.org), desenvolvido em parceria com a Organização Mundial da Saúde, que visa à substituição de dispositivos com mercúrio no setor saúde em todo o mundo.

O Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná, o terceiro maior hospital universitário do país, é uma Instituição Pública Federal, 100% SUS, que prima pela qualidade no atendimento humanizado ao cidadão na área da saúde e da educação. Tem como missão “Prestar assistência hospitalar acreditada à comunidade, garantindo campo apropriado para o ensino, pesquisa e extensão”.

O Escritório Verde desenvolve a política de sustentabilidade da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) no Campus Curitiba, unindo pesquisadores, professores, estudantes e gestores, tendo como meta implantar programas para reduzir o impacto ambiental das atividades acadêmicas e também ser referência para instituições de ensino e organizações em geral.

 

Justificativa:

O mercúrio é um metal pesado altamente tóxico, persistente no meio ambiente, capaz de se disseminar globalmente por diversas vias de contaminação e tem sido encontrado em níveis preocupantes em quase todo o Planeta.

Embora seja um metal, sua peculiar forma líquida facilita o derramamento e a contaminação de ambientes. Por se transformar em vapor à temperatura ambiente, o mercúrio se espalha com facilidade e pode ser facilmente inalado. Além disso, sua capacidade de combinar-se à matéria orgânica, formando um composto (metilmercúrio) absorvível por organismos vivos e bioacumulativo, potencializa seu efeito poluidor.

As principais fontes antrópicas de contaminação por mercúrio estão ligadas à indústria de cloro soda, queima de combustíveis fósseis e de resíduos, ao garimpo artesanal e pelo seu uso em dispositivos de medição, entre eles os termômetros e esfigmomanômetros utilizados no cuidado à saúde.

Atualmente, o mercúrio é objeto de um esforço mundial pelo controle ambiental de suas fontes e eliminação do seu uso. O setor da saúde tem papel importante nesse cenário, devido às quantidades significativas de termômetros e esfigmomanômetros que emprega. As quebras frequentes, assim como os procedimentos de manutenção desses dispositivos, resultam num paradoxo, no qual o cuidado à saúde contribui para a deterioração ambiental e traz novos riscos. Cabe destacar que todos os usos do mercúrio na assistência à saúde contam atualmente com alternativas mais seguras, precisas confiáveis e sustentáveis, inclusive do ponto de vista financeiro.

A organização internacional Saúde Sem Dano (SSD), juntamente com a Organização Mundial da Saúde (OMS), desenvolve uma Iniciativa global que tem como objetivo atingir a eliminação de dispositivos à base de mercúrio e a sua substituição por alternativas precisas, economicamente viáveis e mais seguras sob o ponto de vista ocupacional e ambiental. Essa iniciativa se baseia em uma política que a OMS lançou em 2005, visando orientar governos e organizações de saúde para a substituição de dispositivos médicos que contenham mercúrio.

Atualmente, um grupo significativo de países, incluindo o Brasil, participa do Comitê Intergovernamental de Negociação (INC, na sigla em Inglês), promovido pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Nesse comitê, negociam-se soluções para a contaminação de mercúrio em âmbito global de forma que cada país participante se comprometa com uma legislação nacional sobre mercúrio. Nesse contexto, caberá ao setor saúde brasileiro fazer sua parte.

 

Objetivos do evento:

Contribuir para aumentar a consciência dos profissionais de saúde sobre os perigos relacionados à exposição ao mercúrio e ao metilmercúrio, tanto em seus ambientes de trabalho, quanto nos âmbitos local e global.

Discutir os problemas operacionais da substituição do mercúrio, fornecendo informações sobre alternativas e capacitando os trabalhadores e gestores para a substituição.

Mobilizar as organizações de saúde para que conduzam a substituição dos dispositivos e produtos que têm mercúrio por alternativas confiáveis e acessíveis.

Divulgar e debater experiências bem-sucedidas de substituição desses dispositivos.

 

Certificado:

Será fornecido certificado de participação a todos os presentes.

 

Alimentação:

Café da manhã e da tarde serão oferecidos gratuitamente aos participantes.

NOSSOS PROJETOS

Seminário Hospitais Saudáveis - SHS é o principal evento promovido pelo Projeto Hospitais Saudáveis. Saiba Mais

Saúde Sem Mercúrio - O mercúrio é tema de campanha mundial. Saiba Mais

Rede Global Hospitais Verdes e Saudáveis - Saiba mais

Desafio 2020 a Saúde pelo Clima - Saiba mais

PARCERIAS

O Projeto Hospitais Saudáveis é ponto focal no Brasil da organização internacional Saúde Sem Dano. Saiba mais

PARTICIPE DO PHS

Receba nossos boletins, notícias e divulgação de eventos.Torne-se membro do PHS ou cadastre-se para receber notícias e divulgação de eventos