E-mail Facebook Twitter

Projeto Hospitais Saudáveis

Desafio Resíduos de Serviço de Saúde



Projeto Hospitais Saudáveis

Desafio Resíduos. Aprimore as práticas de gestão de resíduos de saúde. Ciclo 2020/2021
 
O Desafio Resíduos de Serviços de Saúde é uma iniciativa da Rede Global Hospitais Verdes e Saudáveis, que mobiliza e incentiva o setor saúde brasileiro a aprimorar suas práticas de gestão de resíduos de serviços de saúde (RSS), reduzindo a geração de resíduos, ampliando a reciclagem e diminuindo a proporção de resíduos perigosos que necessitam tratamento especial, por meio do aprimoramento seguro e racional das práticas de segregação. 
 
Todos os hospitais, unidades e sistemas de saúde do Brasil estão convidados a participar da iniciativa, ajudando a promover uma assistência à saúde que reduza os impactos ambientais negativos e gera benefícios ambientais, sanitários e de segurança para o trabalhador, o paciente, a sociedade e o meio ambiente. O programa oferece ferramentas e apoio técnico para ajudar os hospitais, unidades e sistemas de saúde a aprimorar práticas de gestão de RSS. 
 
As atividades do Desafio Resíduos de Serviços de Saúde se integram aos esforços do Desafio a Saúde pelo Clima, fortalecendo as ações contra as mudanças climáticas ao evitar a incineração e incentivar a destinação correta de resíduos orgânicos no aterro, e do Desafio Compras Sustentáveis, por meio da aquisição de materiais que gerem o mínimo possível de resíduos tóxicos, não reparáveis ou não recicláveis. A adoção de processos e alternativas mais seguras e sustentáveis pelo setor saúde é o caminho para uma economia circular global. 
 
 
Participe do Desafio Resíduos
Para participar do Desafio é necessário que a sua organização seja membro do PHS. A adesão institucional e a participação nos Desafios do PHS é 100% sem custos e garante a inclusão na Rede Global Hospitais Verdes e Saudáveis. 
 
(primeiro acesso)
(já é participante)
 
 
Avisos importantes
• Consulte as versões atualizadas dos recursos e materiais de apoio para o ciclo 2020/2021.
• Em caso de dúvidas, entre em contato pelo e-mail ecimarasilva@hospitaissaudaveis.org
 
Recursos e materiais de apoio

 

Sobre a participação
Confira as atividades que as organizações participantes devem realizar a cada ciclo:
  • • Realizar a pesagem diária dos resíduos gerados; 
  • • Garantir que todo resíduo gerado seja transportado, armazenado, tratado, reciclado ou disposto da maneira mais segura para o meio ambiente e sem causar danos à equipe, aos pacientes ou à sociedade em geral;  
  • • Reportar anualmente dados de geração e destinação dos resíduos por meio da planilha de gestão de RSS; 
  • • Reportar dados sobre as características da unidade de saúde pelo formulário “Dados perfil anual”; Basta preencher uma vez, caso a organização participe de outros Desafios; 
  • • Reportar dados da estrutura organizacional da gestão de RSS pelo formulário “Dados de gestão”; 
  • • Implementar melhorias na gestão de RSS comprometendo-se a reduzir a geração de resíduos em quantidade e toxicidade e a capacitar as equipes para manusear os resíduos com segurança. 
Para mais detalhes, consulte a orientação para participação disponível em Recursos e Materiais de Apoio.
 
Benefícios da participação
  • • Participação na Rede Global Hospitais Verdes e Saudáveis.  
  • • Ferramentas e orientação técnica 100% sem custos para aprimorar práticas de gestão de RSS. 
  • • Benchmark sobre práticas de gestão de RSS entre hospitais comparáveis. 
  • • Participação em eventos exclusivos.  
  • • Acesso a conteúdos  atuais e relevantes sobre temas de interesse.  
  • • Publicação de estudos de caso em publicações nacionais e internacionais.  
  • • Prêmio de reconhecimento por concluir as etapas de participação.
Gestão de resíduos de serviços de saúde
O gerenciamento de resíduos de serviços de saúde é de extrema importância para a preservação da saúde ambiental e está em concordância com o princípio de “primeiro, não causar danos”. Com a demanda crescente pela assistência à saúde, é imprescindível que hospitais, unidades e sistemas de saúde estejam atentos aos impactos de suas atividades e tomem as devidas providências para reduzir os impactos ambientais negativos. 
 
A prioridade para a gestão de resíduos deve ser evitar o desperdício, gerando a menor quantidade de resíduos em quantidade e toxicidade. O processo pode e deve incluir o setor de compras para a aquisição de produtos com menos embalagens, menos tóxicos, reutilizáveis/ou de design circular, por exemplo. A Política Nacional de Resíduos Sólidos determina que a hierarquia de resíduos é a seguinte: não geração, redução, reutilização, reciclagem e tratamento dos resíduos sólidos, bem como disposição final ambientalmente adequada dos rejeitos. 
 
O processo de gestão dos resíduos de serviços de saúde torna-se mais efetivo quando monitorado por meio de indicadores de quantidade e tipos de resíduos gerados. É uma atividade que envolve o engajamento e o esforço de todos os trabalhadores, profissionais e gestores. E, sem dúvida, representa um grande desafio para todos os tipos de organizações devido às peculiaridades do serviço de saúde, mas ao mesmo tempo permite conciliar a redução de custos e riscos ambientais com benefícios ambientais, sanitários e de segurança para os trabalhadores, pacientes e sociedade, entre eles a redução das emissões de gases de efeito estuda e a da quantidade de matéria-prima e energia necessárias para o processamento dos produtos que utilizam.